Carregando...

Notícias > Colunistas - Atualizado em 13/12/2010 - 16:14:02

Coluna Marcos Basso:ETIMOLOGIA
Redação

Imprimir está Notícia   Comentar está Notícia   Enviar está Notícia

 

Tem seu significado, como sendo o nome que se dá para a ciência que

estuda a origem das palavras. As palavras podem ser classificadas em

diversos grupos, comuns e incomuns, assim vamos dizer para ficar máis

fácil o nosso entendimento sobre esse assunto.

Então vejamos alguns exemplos:

 

Sanduíche, numa madrugada de 1762, john montague, que passava noites

numa mesa de carteado, pediu a seu mordomo que colocasse um pedaço de

rosbife no meio de duas fatias de pão. Seus parceiros também o

seguiram e o homenagearam com o titulo de montague, que era o quarto

conde do condado do inglês de sandwich.

 

E para nosso conhecimento também, não podemos deixar de mencionar a

maior palavra da lingua portuguesa, contendo 46(quarenta e seis)

letras:

"pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico"

Mas vamos nessa garatuja com nossa pachorra, pois devagar e sempre

rabiscando, chegaremos lá. E muitos de nós, já deve ter ouvido aquela

expressão “ o problema é na rebimboca da parafuseta”. Até hoje são

palavras imcompreensíveis pelos dicionários mundo afora. Agora não nos

enganemos, tem muito a ver na nossa vida cotidiana para aludir nossos

problemas mais simples.

Entre as palavras comuns, encontramos várias semelhanças de sentido

também. Entretanto a analogia vem cumprindo seu papel ao longo dos

tempos e das gerações, criando novas formas de comunicação ditando com

mais clareza ou mesmo abreviando palavras usuais novas e antigas com a

mesma simplicidade fonética oral e escrita.

Vejamos se estamos no “MSN” ou por e-mail acabamos por suprimir a

palavra “voce” por “vc” como exemplo, e na forma oral não notamos essa

abreviatura. Portanto, na minha opnião, podemos considerar que a

analogia é a nova base da sintaxe modificada.

Outros exemplos de palavras incomuns que eticamente agora se tornaram

comuns entre nós:

Printar;

Escanear:

Deletar; Essa então está sempre na “moda”.

 

Ja a analogia semântica, identifica certas situações ou elementos de

forma que atualmente podemos classificá-los como um contexto tipíco

entre a comparação e a metáfora.

Vejamos alguns exemplos comuns:

“Mataram o cachorro do meu vizinho”

“O porco do meu cunhado morreu”

“Relógio que atrasa não adianta”

Devemos ter cuidado na hora da colocação de certas frases em

determinadas situações, e de qual juízo empírico estamos fazendo

conta. O que é certo é que temos que entender que existem as vias de

regra tanto para uma “ação legitima” como para uma “abstrata”. Pois na

razão humana segunto “Kant”, existem dois objetos, “a natureza e a

liberdade”.

O arbítrio é a capacidade de agir ou deixar de agir pela nossa

consciência em ações que podem modificar o sentido em objetos e

palavras ligados por uma duplicidade de interpretação,o qual está

exposto hoje em dia pelo nosso conhecimento dentro de uma sociedade

globalizada, bem diferente por seus novos costumes e ações primárias.

Entretanto, não existe apenas uma teoria de juízos capaz de solucionar

os problemas éticos que a cada geração vão surgindo, é necessário

repensarmos nossas ações por mais de uma vez ao invés de tentarmos

impôr nossa opnião, seja ela contra ou a favor de alguma coisa, objeto

ou individuo.

Pensando assim, lhes desejo uma excelente semana.MarcosBasso...


Comentários


Nenhum comentário, seja o primeiro a comentar está notícia!

Nome Completo:
E-mail:
Comentário: