Carregando...

Notícias > Colunistas - Atualizado em 06/12/2010 - 08:56:48

Coluna semanal de Marcos Basso: REVÊSTRÉS
Redação

Imprimir está Notícia   Comentar está Notícia   Enviar está Notícia

Essa tal falada palavra, tem seu significado como sendo uma coisa contrária, fora da condição normal dos acontecimentos dos fatos na vida.

Vejamos:

Podemos lembrar do episódio do chamado “Estado guarda noturno”.Cabendo

salientarmos que é visivel hoje em dia podermos acreditar na concepção

de alcançarmos o bem comum na coletividade em termos de segurança

publica, pelas realizações individuais dentro de um Estado livre

diante das suas potencialidades. Esta, é claramente voltada apenas aos

interesses de cada grupo coletivo totalitários financeiramente, bem

organizados sistemáticamente dentro de um contexto revolucionário,

onde o que importa é o lucro “doa há quem doer”.

“Toda vez que se aquece um ferro, ele se dilata”.

Temos exemplo disso:

“Quem mata alguém não é preso, deve ser preso”. No revêstrés então

entendemos que quem não matou poderá ser eventualmente preso; ao passo

que é possível nunca emprisionar quem efetivamente haja cometido tal

crime”.

Existem muitos revêstrés como o da impunidade pela qual os que a

praticam, desafiam a defesa social da coletividade e insultam as

sanções disciplinares, gerando com isso o caos, a insubordinação,

deteriorando a harmonia social da sociedade, tentando deformar o poder

das mãos das autoridades hierárquicas existentes.

 Esperamos que o revêstrés ocorrido nas forças que achavam que

governavam um estado de direito perdure, para muitos anos. Pois é além

da força que agora devem vir os princípios constitucionais para

disciplinarem e garantir a ordem e progresso estabelecida novamente

dentro do regime de autônomia e justiça para todos os cidadãos de bem,

onde quer que estejam.

 Digamos que depois da autoridade instaurada competente, vimos a

observância e depois a exclusão, com isso esperamos que as decisões

sejam realmente fundamentadas naquilo que a população não deseja mais

conviver, que são as “regras impostas” por grupos pré-estabelecidos

informalmente dentro das comunidades sociais de bem em comum.

E mais preferimos ficar atentos à continuidade das fases de:

a) Instauração;

b)Instrução;

c)Julgamento – que põe fim ao processo. 

Sabemos das nossas fraquezas humanas, mas não podemos deixar que elas

sirvam de ingredientes para a escalada da criminalidade urbana.

Por melhor que seja, todo processo tem seu inicio e fim, assim como

todo reinado também, e esta derrota sob forma de poder também provou

desse desabor. Mas deixou para todos nós um grande exemplo que mesmo

pobres, bem pobres seja de estudo e conhecimento, entretanto “a

conservação do caráter é a consciência do próprio valor”.

Pensando nisso, lhes desejo uma excelente semana...

Marcos Basso


Comentários


Nenhum comentário, seja o primeiro a comentar está notícia!

Nome Completo:
E-mail:
Comentário: